Cardápio japonês é a atração em champanheria

por Zeca Santos;

Não é de hoje que a comida japonesa faz sucesso na cidade maravilhosa olímpica, e também não é de agora que espumantes, proseccos e champagnes agradam o paladar dos cariocas. E que tal unir um bom paladar com uma refrescante e boa bebida?

Pois é a Blá Blá Champanheria faz isso muito bem e sempre durante a semana(segunda a sexta) e aos domingos.

151

Um rodízio de primeira linha, muito bem preparado pelos sushismen bem brasileiros com total higiene e cuidado.

137

Você sabia que para um bom desempenho dos sushimen deve ser usado um jogo de facas especial, cada faca usada para cada tipo de corte…

156

A saber…Quando os imigrantes japoneses chegaram ao Brasil, no começo do século passado, trouxeram na bagagem a culinária. No início, tratada apenas como exótica, a alimentação oriental rompeu com os limites geográficos, e, obedecendo às tradições e aos costumes milenares orientais, as receitas foram cultivadas e passadas de geração para geração. Com singelas adaptações aos costumes ocidentais, a comida nipônica foi ganhando tradição e prestígio, deixando de ser rara especiaria para ser tratada como saudável opção alimentícia.

E já que falamos da culinária japonesa vamos falar da diferença entre espumante, prosecco e champagne, afinal estamos numa champanheria.

É chamado de espumante (ou sparkling wine) todo vinho que sofre duas fermentações naturais. A primeira é a fermentação alcoólica, comum de todos os vinhos, que transforma o açúcar da uva em álcool e que ocorre em tanques ou barris de carvalho. A segunda, onde o espumante adquire a efervescência(presença de CO2), tanto pode ocorrer em tanques de aço inox pressurizados (método charmat) como podem ser feitas na própria garrafa (método champenoise ou tradicional/clássico);

Prosecco , até então, era somente o tipo de uva (cepa) nativa da Itália, mais precisamente nas regiões de Valdobbiadene e Canegliano, no Vêneto. Então, não se poderia dizer que os proseccos fossem vinhos exclusivos da Itália, pois ao contrário dos champagnes, era permitido chamarmos de prosecco um vinho feito fora daquele país, desde que elaborado a partir da uva prosecco.

Diferentemente dos champagnes e dos cavas, os proseccos são elaborados pelo método charmat, onde a segunda fermentação ocorre em grandes tanques de aço inox e não na própria garrafa.

O champanhe ou champanha (em francês champagne) é um vinho branco espumante, produzido na região de Champagne, nordeste da França, através da fermentação da uva (uma espécie ou várias).O champanhe é produzido na região administrativa de Champagne-Ardenne, cuja capital é Epernay. Foi próximo a Epernay, no povoado de Hautvillers, que os monges Dom Pérignon e Dom Ruinart se esforçaram muito para domar os vinhos que fermentavam novamente nas garrafas, fazendo-as explodir.
Eles são produzidos obrigatoriamente à base apenas das uvas chardonnay , pinot noir e pinot meunier… muitos aplausos aos monges.

146

E na Blá Blá a junção do paladar oriental com o frescor do espumante, procecco ou champagne ocorre naturalmente e com grande maestria ao som de um bom lounge, faz-se uma boa social, ponto de encontro de amigos um lugar bem agradável, vale muito conferir.

Sejam bem vindos a magia do BLÁ BLÁ,encontra-se na Av. Érico Veríssimo,843 no ínício da Barra da Tijuca(rua da igreja redonda)..Reservas: 98040-7702 / 2495-2475….  Feminino: R$ 49,90; Masculino: R$ 69,90…. Rodizio com sobremesa!! Tudo de bom…vale muito a pena.
Fique conosco, deixe seu comentário, visite também nossa página no facebook de mesmo nome TE VEJO AQUI, lá você leitor seguidor e fã encontra entrevistas exclusivas e tisers de nossas coberturas vá e curta tudo.

 

Deixe uma resposta